Comunitários preocupados com a onda de violência em Campina Grande

violencia_cg

violencia_cgO presidente da UCES, João Batista Pereira da Silva, fez um relato do que aconteceu na reunião na UCES, quando foram debatidos e discutidos os problemas de Segurança Pública no Município de Campina Grande com o Comandante do 2º BPM, Ten. Cel. Marcus Marconi Torres de Lima. A reunião contou com a participação de lideranças comunitárias de mais de 40 bairros, que aproveitaram a oportunidade para apresentar ao comandante suas insatisfações com a onda de violência que está imperando em todos os recantos de nossa cidade e até mesmo na zona rural, além da sensação de insegurança por que estão passando em suas comunidades.

O presidente da UCES enfatizou a postura do Ten. Cel. Marcus Marconi, que se colocou à disposição das lideranças comunitárias para ir discutir os problemas de segurança em suas comunidades, inclusive já tendo participado de reuniões nos bairros dos Cuités e Catolé, além do distrito de São José da Mata.

Em seu pronunciamento o comandante do 2º BPM fez um balanço de como encontrou aquele Batalhão e do que tem sido feito até agora, comentando que uma de suas prioridades está sendo a intensificação das ações de segurança ostensiva, com um maior policiamento nas ruas no combate direto à criminalidade e a otimização do serviço de inteligência. “Não sou um homem de gabinete e vou estar permanentemente nas ruas de Campina Grande, pois o meu objetivo maior será o de diminuir a sensação de insegurança da população campinense”, disse o comandante do 2º BPM.

João Batista ressaltou também a importância da participação dos líderes comunitários na 1ª Conferência Municipal de Segurança Pública, que acontecerá nos dias 21 e 22 de maio de 2009, no Centro Tecnológico de Educação – CTE (antigo Museu Vivo), que será uma etapa da 1ª Conferência Estadual de Segurança Pública, que acontecerá em julho e da 1ª conferência Nacional de Segurança Pública, que acontecerá em Brasília, de 27 a 30 de agosto. Este será um momento ímpar, onde poderemos estar contribuindo decisivamente na formulação da Política Nacional de Segurança Pública, visando efetivar a segurança pública como direito fundamental, disse João Batista.

Na reunião também foram elencadas as principais reivindicações dos comunitários e foram definidas como prioritárias para serem levadas como propostas para a Conferência Municipal, a estruturação das quatro bases de polícia comunitária existentes e a ampliação das mesmas em, no mínimo, mais quatro bases; a criação de um Fórum Municipal de Segurança Pública ou de um Conselho Municipal de Segurança Pública, onde a sociedade campinense possa estar discutindo e debatendo constantemente a questão da segurança pública em nossa cidade; e a criação urgente da Guarda Municipal, pois este será um instrumento que, com certeza, irá contribuir decisivamente para a melhoria da segurança pública em nosso município. O presidente João Batista encerrou a entrevista fazendo um chamamento a todos os líderes comunitários e a população em geral para participarem de mais uma reunião preparatória para a 1ª Conferência Municipal de Segurança Pública, que acontecerá na UCES, no próximo dia 03 de maio, a partir das 9h.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *