História da UCES

Uma trajetória de luta e resistência

A União Campinense das Equipes Sociais – UCES – surgiu no dia 02 de agosto de 1964, em meio às lutas sociais e o período militar que se instalava. Em Campina Grande funcionava no ano de 1958 uma espécie de Conselho Comunitário coordenado pela Assistente Social Irmã Ângela Beleza, que pretendia junto com os conselheiros reivindicar melhorias para os bairros.

A organização dos moradores de alguns bairros se iniciou em comissões e posteriormente recebeu a influência de outros estados brasileiros que obtinham sucesso em organizações de Sociedade de Amigos de Bairro. Nesse contexto, surge em 1962 a primeira Sociedade de Amigos do Bairro de José Pinheiro, em Campina Grande. De início foram criadas as SABs de José Pinheiro, Monte Castelo, Castelo Branco, Monte Santo norte e sul – na época, Palmeira, Jardim Paulistano, entre outras, todas fruto de um Movimento Comunitário que se fazia crescer pela cidade. Com este crescimento sentia-se necessidade de um órgão que coordenasse as atividades das entidades e ajudasse na proliferação dessa experiência por toda Campina Grande, contribuindo, assim, para fortalecer as entidades de base e fornecer qualificação e formação para os lideres comunitários e moradores das respectivas áreas que as SABs atuavam.

Desta maneira, no ano de 1964, a União Campinense das Equipes Sociais – UCES – nasce na esperança de consolidar a integração dos bairros e fortalecer as lutas sociais. Seu primeiro presidente, o Senhor João Basílio, que pertencia a SAB de Monte Castelo, foi escolhido pelo trabalho que desenvolvia no bairro. O período de consolidação dessa entidade coincide com o regime militar, que investigava intensamente os movimentos sociais, bem como acompanhava os trabalhos realizados nas reuniões das SABs e da UCES, procurando identificar nos discursos pontos que iam de encontro com o governo para, assim, reprimir a liberdade de expressão e conhecimento dos fatos que o país passava.

Esse período representa um momento de subordinação e atrelamento em contraposição aos trabalhos que vinham sendo desenvolvidos dentro de uma perspectiva revolucionária e autônoma. É nesse momento que as SABs são mais pacíficas e exercem o papel de órgãos de prestação de serviços à comunidade. Aqueles que não se enquadravam ao regime eram perseguidos, ameaçados e mortos. Por volta de 1977, o país passa por uma abertura política do governo federal e, nesse período, os Movimentos Sociais retomam sua atuação legal de forma mais intensa e o movimento começa a crescer em favor da liberdade democrática. É nesse cenário que as Sociedades de Amigos de Bairros retomam suas antigas bandeiras de luta em favor da conscientização política/social como protagonista dessa “nova história”.

A UCES surge com o propósito de coordenar a integração dos bairros, seja através dos desafios que cada um congrega, seja nas reivindicações atendidas, bem como proporcionar a criação de outras SABs nos bairros onde não existissem, sendo também dever desse órgão dar a seus filiados assistência de cunho informacional e formacional no que diz respeito a aspectos econômicos, políticos, sociais e culturais, de interesse dos associados bem como de assuntos específicos da área em que esta entidade atua, ou seja, o município de Campina Grande, promovendo debates entre o poder público municipal e um diálogo permanente com o poder público estadual e federal.

Esta entidade é filiada à Confederação Nacional das Associações de Moradores – CONAM, apresentando uma articulação com outras experiências comunitárias, fato que revela a força organizacional desse órgão, cujo poder de mobilização tem sido demonstrado através dos debates realizados em prol de políticas públicas voltadas pra a população campinense e discussão de temáticas relacionadas a melhoria da qualidade de vida dos campinenses, bem como da sua participação em seminários e conferências nos âmbitos municipal, estadual e nacional.

Após vinte anos de repressão e práticas antidemocráticas, um novo olhar é lançado sobre os Movimentos Sociais, que atualmente vem abrindo janelas novas com perspectivas, posições e concepções diferentes sobre este momento de participação que está se construindo, visto que o tempo histórico pede novas posições de lutas, novas posturas. É nesse contexto que a União Campinense das Equipes Sociais – UCES pretende desenvolver seus projetos junto às entidades filiadas, procurando sempre ser porta-voz do povo e de suas necessidades, para que juntos promovam uma melhoria na qualidade de vida da população campinense nos bairros da cidade.

Print Friendly

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *